Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 42
Menu
Costa quer Bancos a pagar dívidas da banca

Costa quer Bancos a pagar dívidas d…

A Caixa Geral de Depósito...

Dívida dos hospitais aumenta

Dívida dos hospitais aumenta

Pagamentos em atraso atin...

Nova penhora a mansão de luxo de Pinto da Costa

Nova penhora a mansão de luxo de Pi…

Casa é atualmente ocupada...

Dívida 30 milhões das prisões:  Ministra sem “nenhuma evidência de fome nas prisões"

Dívida 30 milhões das prisões: Min…

A ministra da Justiça gar...

O outro lado do plano PERES

O outro lado do plano PERES

A decisão de adesão [ao P...

Contribuintes detectam falhas no plano de pagamento de dívidas fiscais

Contribuintes detectam falhas no pl…

Sindicato diz que as “inc...

Avisos do fisco podem usar ‘perdão fiscal’

Avisos do fisco podem usar ‘perdão …

Empresas analisam impacto...

Fisco acelera notificações de cobrança de dívidas fiscais de 2012

Fisco acelera notificações de cobra…

A Autoridade Tributária e...

A dívida da Câmara de Lisboa foi paga pelo Governo?

A dívida da Câmara de Lisboa foi pa…

Segundo Passos, Costa só ...

“Perdões” fiscais deram 3000 milhões ao Estado em 12 anos

“Perdões” fiscais deram 3000 milhõe…

São a “derradeira oportun...

Prev Next

On Screen Feedburner Popup by Infofru

Receive all updates via Feedburner. Just subscribe below.

Subscribe to Receive Free Email Updates:

Author Site:Reviewresults

Close

IMI de moradores do Centro Histórico vai para tribunal

To save Syria, bring Russia and Iran to the international discussion To save Syria, bring Russia and Iran to the international discussion

Moradores do Centro Histórico defendem que estão isentos ao abrigo da lei. Finanças têm uma interpretação diferente.

 

Os moradores do Centro Histórico de Guimarães estão revoltados por terem de pagar IMI. A zona é classificada pela UNESCO e devia estar isenta. As Finanças discordam e têm uma nova interpretação da lei. 

Maria Luísa Fernandes está reformada. Tem 67 anos e já mora no Largo Martins Sarmento há 50, em pleno Centro Histórico, paredes-meias com o Castelo. Desde 2001, ano em que viu a sua casa ser classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, que estava isenta de pagar Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

No entanto, em junho, recebeu uma carta das Finanças a cobrar a taxa de 0,375% de IMI. Primeiro pensou que era engano, mas logo se apercebeu que não era a única. Dos 1000 moradores da zona classificada, já foram recebidas quase 200 notificações.

Deixe comentário

Confirme que introduziu (*) informação requerida cfr assinalado. Código HTML code não é permitido.


Anti-spam: complete the taskJoomla CAPTCHA
Regressar ao topo