Erro
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 42
Menu
Costa quer Bancos a pagar dívidas da banca

Costa quer Bancos a pagar dívidas d…

A Caixa Geral de Depósito...

Dívida dos hospitais aumenta

Dívida dos hospitais aumenta

Pagamentos em atraso atin...

Nova penhora a mansão de luxo de Pinto da Costa

Nova penhora a mansão de luxo de Pi…

Casa é atualmente ocupada...

Dívida 30 milhões das prisões:  Ministra sem “nenhuma evidência de fome nas prisões"

Dívida 30 milhões das prisões: Min…

A ministra da Justiça gar...

O outro lado do plano PERES

O outro lado do plano PERES

A decisão de adesão [ao P...

Contribuintes detectam falhas no plano de pagamento de dívidas fiscais

Contribuintes detectam falhas no pl…

Sindicato diz que as “inc...

Avisos do fisco podem usar ‘perdão fiscal’

Avisos do fisco podem usar ‘perdão …

Empresas analisam impacto...

Fisco acelera notificações de cobrança de dívidas fiscais de 2012

Fisco acelera notificações de cobra…

A Autoridade Tributária e...

A dívida da Câmara de Lisboa foi paga pelo Governo?

A dívida da Câmara de Lisboa foi pa…

Segundo Passos, Costa só ...

“Perdões” fiscais deram 3000 milhões ao Estado em 12 anos

“Perdões” fiscais deram 3000 milhõe…

São a “derradeira oportun...

Prev Next

On Screen Feedburner Popup by Infofru

Receive all updates via Feedburner. Just subscribe below.

Subscribe to Receive Free Email Updates:

Author Site:Reviewresults

Close

EDP cortou de eletricidade a 285 mil famílias

A EDP cortou, no ano passado, o abastecimento de eletricidade a 285 mil famílias que não pagaram a conta da luz, cerca de 5% do total de clientes da empresa. O número de cortes por falta de pagamento manteve-se «estável» nos primeiros nove meses do ano passado, face ao mesmo período de 2012, representando cerca de 5% dos 5,7 milhões de contratos de abastecimento com a EDP, disse à Lusa fonte da elétrica.

«Os comercializadores do Grupo EDP (EDP Serviço Universal e EDP Comercial) têm acompanhado, ao longo dos últimos meses, com o cuidado que a situação merece, a situação dos clientes com dívidas em atraso sendo que, em termos globais, a situação se tem mantido relativamente estável», afirma a empresa.

O processo de corte por incumprimento de pagamento, ressalva a mesma fonte, é um procedimento «de último recurso», que ocorre apenas após um pré-aviso de várias semanas, e que, «na esmagadora maioria dos casos», é seguido de uma operação de religação.

A empresa não divulga o montante de pagamentos em dívida pelos clientes, informando apenas que, entre setembro de 2012 e o mesmo mês do ano passado, os clientes residenciais aumentaram em 15% a dívida corrente, enquanto os clientes empresariais registaram uma «redução significativa» dessas dívidas.

 

Pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%

O pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%, atingindo um total de 100 mil acordos no último ano, segundo a empresa.

 

«Atenta às circunstâncias atuais, a EDP tem procurado dar uma atenção permanente a todos e a cada um dos casos que se lhe colocam, tendo abertura para negociação das dívidas através da adoção de acordos de pagamentos faseados», afirmou fonte da EDP à Lusa.

 

Os dados mais recentes disponibilizados pela EDP, relativos aos primeiros nove meses de 2013 em comparação com o mesmo período de 2012, indicam que aqueles acordos aumentaram cerca de 25%, tendo sido firmados «cerca de 100 000 acordos no último ano», adianta a empresa.

O pagamento faseado de dívidas de contas de eletricidade cresceu mais do que a dívida corrente de clientes à EDP, que aumentou 15% no mesmo período.

Mas as negociações da EDP com devedores não impediram que o abastecimento de eletricidade, no mesmo período, tenha sido cortado a 285 mil famílias, cerca de 5% dos 5,7 milhões de clientes residenciais da empresa.

No entanto, o número de cortes por falta de pagamento manteve-se estável, uma vez que em anos anteriores já representava cerca de 5% dos contratos residenciais firmados com a EDP.

 

Menos 10 mil famílias com tarifa social

O número de clientes residenciais da EDP com direito à tarifa social, que oferece descontos aos mais carenciados, baixou em 10 mil no ano passado, totalizando 60 mil, segundo a empresa.

Em setembro de 2012, cerca de 70 mil clientes da EDP beneficiavam da tarifa social e, um ano depois, em setembro do ano passado, a empresa registava 60 mil.

A mudança de fornecedor de eletricidade ou o não preenchimento dos requisitos exigidos aos beneficiários da tarifa social podem estar na origem desta quebra.

A tarifa social resulta da aplicação de um desconto na tarifa de acesso às redes de eletricidade em baixa tensão, que compõe o preço final faturado ao cliente.

Só têm direito a esta tarifa os clientes de eletricidade que se encontrem numa situação de carência socioeconómica, comprovada pelo sistema de Segurança Social.

Outra exigência para a tarifa social é ser beneficiário de uma das cinco prestações sociais: complemento solidário para idosos; Rendimento Social de Inserção; subsídio social de desemprego; 1.º escalão do abono de família; pensão social de invalidez.

São os próprios comercializadores de eletricidade que, a pedido do cliente, verificam junto das instituições de segurança social a atribuição daquelas prestações sociais.

 

 

Pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%

LUSA 11/05/2014 - 12:33

Electricidade foi cortada em 285 mil casas, cerca de 5% dos contratos residenciais.

 

EDP prevê subida de 5% nos resultados líquidos PAULO PIMENTA

O pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%, atingindo um total de 100 mil acordos no último ano, de acordo com os dados mais recentes disponibilizados pela EDP, relativos aos primeiros nove meses de 2013 em comparação com o mesmo período de 2012.

O pagamento faseado de dívidas de contas de electricidade cresceu mais do que a dívida corrente de clientes à EDP, que aumentou 15% no mesmo período.

"Atenta às circunstâncias actuais, a EDP tem procurado dar uma atenção permanente a todos e a cada um dos casos que se lhe colocam, tendo abertura para negociação das dívidas através da adopção de acordos de pagamentos faseados", afirmou fonte da EDP à Lusa.

As negociações da EDP com devedores não impediram, contudo, que o abastecimento de electricidade, no mesmo período, tenha sido cortado a 285 mil famílias, cerca de 5% dos 5,7 milhões de clientes residenciais da empresa. No entanto, o número de cortes por falta de pagamento manteve-se estável, uma vez que em anos anteriores já representava cerca de 5% dos contractos residenciais firmados com a EDP.

"Os comercializadores do Grupo EDP (EDP Serviço Universal e EDP Comercial) têm acompanhado, ao longo dos últimos meses, com o cuidado que a situação merece, a situação dos clientes com dívidas em atraso sendo que, em termos globais, a situação se tem mantido relativamente estável", afirma a empresa.

O processo de corte por incumprimento de pagamento, ressalva a mesma fonte, é um procedimento "de último recurso", que ocorre apenas após um pré-aviso de várias semanas, e que, "na esmagadora maioria dos casos", é seguido de uma operação de religação.

A empresa não divulga o montante de pagamentos em dívida pelos clientes, informando apenas que, entre Setembro de 2012 e o mesmo mês do ano passado, os clientes residenciais aumentaram em 15% a dívida corrente, enquanto os clientes empresariais registaram uma "redução significativa" dessas dívidas.

 

Menos famílias com tarifa social

O número de clientes residenciais da EDP com direito à tarifa social, que oferece descontos aos mais carenciados, baixou em dez mil no ano passado, totalizando 60 mil, segundo a empresa.

Em Setembro de 2012, cerca de 70 mil clientes da EDP beneficiavam da tarifa social e, um ano depois, em Setembro do ano passado, a empresa registava 60 mil. A mudança de fornecedor de electricidade ou o não preenchimento dos requisitos exigidos aos beneficiários da tarifa social podem estar na origem desta quebra.

A tarifa social resulta da aplicação de um desconto na tarifa de acesso às redes de electricidade em baixa tensão, que compõe o preço final facturado ao cliente.

Só têm direito a esta tarifa os clientes de electricidade que se encontrem numa situação de carência socioeconómica, comprovada pelo sistema de Segurança Social. Outra exigência para a tarifa social é ser beneficiário de uma das cinco prestações sociais: complemento solidário para idosos; Rendimento Social de Inserção; subsídio social de desemprego; 1.º escalão do abono de família; ou pensão social de invalidez.

São os próprios comercializadores de electricidade que, a pedido do cliente, verificam junto das instituições de segurança social a atribuição daquelas prestações sociais. A manutenção da aplicação da tarifa social também é verificada e confirmada todos os anos pelos comercializadores de electricidade.

No dia 7 de maio, o ministro da Energia, Jorge Moreira da Silva, disse no Parlamento que o Governo está a trabalhar na definição das regras para encontrar o grupo de 500 mil famílias que vão passar a usufruir de tarifas sociais na electricidade.

 

 

 

Notícias ao Minuto

Pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%

O pagamento faseado de dívidas de clientes à EDP aumentou 25%, atingindo um total de 100 mil acordos no último ano, segundo a empresa.

"Atenta às circunstâncias atuais, a EDP tem procurado dar uma atenção permanente a todos e a cada um dos casos que se lhe colocam, tendo abertura para negociação das dívidas através da adoção de acordos de pagamentos faseados", afirmou fonte da EDP à Lusa.

Os dados mais recentes disponibilizados pela EDP, relativos aos primeiros nove meses de 2013 em comparação com o mesmo período de 2012, indicam que aqueles acordos aumentaram cerca de 25%, tendo sido firmados "cerca de 100 000 acordos no último ano", adianta a empresa.

O pagamento faseado de dívidas de contas de eletricidade cresceu mais do que a dívida corrente de clientes à EDP, que aumentou 15% no mesmo período.

Mas as negociações da EDP com devedores não impediram que o abastecimento de eletricidade, no mesmo período, tenha sido cortado a 285 mil famílias, cerca de 5% dos 5,7 milhões de clientes residenciais da empresa.

No entanto, o número de cortes por falta de pagamento manteve-se estável, uma vez que em anos anteriores já representava cerca de 5% dos contratos residenciais firmados com a EDP.

 

 

 

Deixe comentário

Confirme que introduziu (*) informação requerida cfr assinalado. Código HTML code não é permitido.


Anti-spam: complete the taskJoomla CAPTCHA
Regressar ao topo