Menu
Costa quer Bancos a pagar dívidas da banca

Costa quer Bancos a pagar dívidas d…

A Caixa Geral de Depósito...

Dívida dos hospitais aumenta

Dívida dos hospitais aumenta

Pagamentos em atraso atin...

Nova penhora a mansão de luxo de Pinto da Costa

Nova penhora a mansão de luxo de Pi…

Casa é atualmente ocupada...

Dívida 30 milhões das prisões:  Ministra sem “nenhuma evidência de fome nas prisões"

Dívida 30 milhões das prisões: Min…

A ministra da Justiça gar...

O outro lado do plano PERES

O outro lado do plano PERES

A decisão de adesão [ao P...

Contribuintes detectam falhas no plano de pagamento de dívidas fiscais

Contribuintes detectam falhas no pl…

Sindicato diz que as “inc...

Avisos do fisco podem usar ‘perdão fiscal’

Avisos do fisco podem usar ‘perdão …

Empresas analisam impacto...

Fisco acelera notificações de cobrança de dívidas fiscais de 2012

Fisco acelera notificações de cobra…

A Autoridade Tributária e...

A dívida da Câmara de Lisboa foi paga pelo Governo?

A dívida da Câmara de Lisboa foi pa…

Segundo Passos, Costa só ...

“Perdões” fiscais deram 3000 milhões ao Estado em 12 anos

“Perdões” fiscais deram 3000 milhõe…

São a “derradeira oportun...

Prev Next

On Screen Feedburner Popup by Infofru

Receive all updates via Feedburner. Just subscribe below.

Subscribe to Receive Free Email Updates:

Author Site:Reviewresults

Close

Morte por dívidas em negócios do leitão assado vai finalmente a julgamento

Um antigo empresário de leitões da Bairrada, acusado de matar a tiro, há seis anos, um seu concorrente, de 29 anos, começa a ser julgado no próximo dia 20 no tribunal de Anadia, disse  fonte judicial.

O homem, de 46 anos, está acusado de um crime de homicídio qualificado e um crime de detenção de arma proibida.

O arguido é suspeito de matar o seu rival no ramo do comércio de leitões para evitar pagar uma dívida de dez mil euros que tinha para com a vítima, na sequência de um negócio entre ambos.

O caso remonta a 06 de março de 2008, quando os dois homens se encontraram na rua principal de Alpalhão, em Anadia, e começaram a discutir. De acordo com a acusação, a dado momento o réu disparou à cabeça da vítima, que faleceu. O julgamento demorou seis anos porque, entretanto, o agressor andou fugido além fronteiras.

Logo após o crime, o suspeito terá fugido para França e depois viajou para Cabo Verde, onde foi localizado em 2013, sendo depois extraditado para Portugal para ser julgado.

O suspeito, que chegou a Portugal no passado mês de fevereiro, foi presente a um juiz do tribunal de Anadia que mandou aguardar julgamento em prisão preventiva.

 

 

 

Deixe comentário

Confirme que introduziu (*) informação requerida cfr assinalado. Código HTML code não é permitido.


Anti-spam: complete the taskJoomla CAPTCHA
Regressar ao topo